dimanche 31 juillet 2016

O REGIME DO MPLA NUNCA ESTEVE TÃO EM BAIXA DE POPULARIDADE


O líder da bancada parlamentar da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, garante, em entrevista ao Diário de Notícias, que “o regime do MPLA” nunca esteve “tão em baixa de popularidade” e que o seu partido poderá ganhar as eleições de 2017 se estas forem “livres e transparentes”.


“A realidade hoje coloca-nos bem mais perto de ganharmos umas eleições se for levada em conta a opção do cidadão, do eleitor”, diz o dirigente do “Galo Negro”, porque “nunca como hoje o regime do MPLA esteve tão em baixa de popularidade e se mostrou tão incapaz de responder aos problemas da sociedade, e mesmo de ir ao encontro dos anseios da sua própria massa eleitoral”.

Daí que para Adalberto da Costa Júnior é fácil deduzir “que, em eleições livres e transparentes, o MPLA não chegaria a dez por cento dos votos ou até valores mais baixos”.
“Os angolanos estão descontentes, penalizadíssimos, sem condições de sobrevivência na maioria, há corrupção que atinge todas as instituições, e a comparação entre as promessas do MPLA nas anteriores eleições e a realidade de hoje não podia ser pior. O MPLA quer eleições desde que as possa controlar”, acrescenta o líder parlamentar.


É, por isso, acrescenta, que “o MPLA fez aprovar uma lei sobre o registo eleitoral em que transfere a competência nesta matéria da Comissão Nacional Eleitoral, órgão independente, para o Ministério da Administração do Território e considera que o registo eleitoral não é parte do processo eleitoral”, facto preocupante, porque “foram completamente alteradas as regras de jogo, violando a Constituição”.

Aucun commentaire:

Publier un commentaire