samedi 28 mars 2015

Membro da JURA assassinado na Kibala


António Yumbi, secretário da comunal para a organização da JURA, em Kibala, província do Kwanza-Sul e membro da organização juvenil desta formação política foi na segunda-feira, 23 de Março de 2015, morto por um suposto militar das FAA, pertencente aos serviços de informações - Sinfo, destacado naquele município, segundo fez saber um dos responsáveis do maior partido na oposição em Angola.


“Por voltas das 19 horas o nosso jovem da JURA, o filho do mais velho secretário municipal para os transportes, Tito António Yumbi, esteve nas bombas de combustível para abastecer a sua motorizada. Depois disso apareceu alguém que lhe importunou, colocou-lhe com uma caçadeira e conduziu-lhe até na área da missão, onde se encontra localizado a Igreja Católica, junto ao bairro novo. Foram até ao rio, foi espancado, depois de lhe foram feitos disparos de arma no peito”.

O membro da maior força política naquela província disse ainda que o jovem da sua organização juvenil foi assassinado depois de espancado pelo autor material do acto.

“Ele ainda procurou pedir auxílio, dois jovens do mesmo bairro foram também atingidos com os disparos de caçadeira. Neste momento, são dois jovens mortos, um nosso jovem da JURA, o secretário da comuna para a organização, o companheiro Aurélio António Yumbi de 24 anos de idade, que foi assassinado depois de espancado. O outro jovem que também foi assassinado procurou ir em socorro deste jovem nosso da JURA”, explicou o responsável da UNITA na Kibala.

O partidário da UNITA naquela província adverte que o seu partido não vai admitir que actos de géneros voltem a acontecer nos próximos dias e acrescenta que a paciência tem limite. Esclareceu, por outro lado que as provocações aos membros do seu partido, particularmente em Kibala, têm sido recorrente.

“Procuramos entrar em contacto com a polícia para pedirmos alguns esclarecimentos e apresentarmos a nossa repulsa e dizer aos inimigos da paz, que nós não vamos admitir situações do género nos próximos dias, porque sermos assassinados como cães ou como cabritos, não. A paciência tem limite”, avançou o dirigente da UNITA .

De acordo com o político da UNITA, no mês de Janeiro foram dois disparos efectuados por homens pertencentes às fileiras das FAA e polícia, que continuam à solta e a gabar-se.

O responsável da segunda maior força política no país informou ainda que a motorizada do jovem assassinado encontra-se na posse do indivíduo que perpetrou o referido crime.

“A única pessoa suspeita neste momento é um indivíduo ligado ao Sinfo, que tem uma caçadeira na área e é recorrente nessas acções de furto, porque a motorizada do mesmo jovem também foi levada”.

O acto já é do conhecimento das autoridades policiais, que prometem trabalhar para resolver a situação.

Entretanto, o dirigente da UNITA mostrou-se céptico com a promessa das autoridades.


“A polícia promete trabalhar. Mas trabalhar ou não trabalhar, nós estamos habituados. Prometem uma coisa e pouco ou nada mais fazem”, concluiu. 

Aucun commentaire:

Publier un commentaire