jeudi 8 octobre 2015

Taxistas exigem salvaguarda de seus direitos


Taxistas 2.jpgA província de Luanda registrou, esta segunda-feira, 05 de Outubro de 2015, grandes fluxos de populações nas principais paragens de transportes, devido a greve de taxistas realizada na cidade capital, forçando uma boa parte dos citadinos luandenses a percorrerem longas distâncias à pé. Os homens que fazem dos serviços de taxi o seu ganha pão, decidiram realizar a greve para manifestar o seu desagrado às autoridades policiais, por falta de paragens para os taxistas, que viabilizem as suas actividades, e contra a intimidação da policia trânsito.


Segundo alguns taxistas a greve terá a duração de uma semana, ou prolongar-se por tempo indeterminado, em caso de não cumprimento dos seus direitos. Os homens denunciaram, por outro lado, a polícia, de maltratar vários grevistas que aderiram ao acto.

"Estamos a fazer a greve hoje, dia 5, porque é do nosso conhecimento e é do conhecimento do povo, que nós os taxistas estamos a passar muito mal. Não temos paragens e as multas estão muito elevadas e estão a nos prejudicar muito. Então, achamos melhor fazer a greve. E todo o taxista está em espírito de greve, hoje. É para manter informado que a nossa greve vai durante uma semana. Caso não nos darem uma resposta saudável, vamos permanecer com esta greve. É para dizer também que tem colegas, por pararem na Bela Vista, a dizerem que estamos em greve, escreverem nas suas viaturas estamos em greve, foram presos. Também é um motivo .

Estamos aí a fazer o nosso direito, a pedir que nos dêem paragem. Só paragem é que nós queremos. Fecharam a Vila de Viana, não temos a informação, fecharam a Cuca, não temos a informação, Fecharam o São Paulo também não temos nenhuma informação. Então, isso é que está a nos preocupar".

Os taxistas esperam a solução do problema da parte do governo e alertaram que a detenção de seus colegas poderá agravar a situação da greve.

"É mesmo com o governo. Nós, até às vezes perguntamos nos polícias, porque é que fecharam. Porque é que não temos paragens. Até os polícias dizem que também não têm conhecimento, "só estamos a fazer aqui um papel e não soubemos porque"Eu só vim cá para dizer que temos quatro homens presos aqui no bairro da Bela Vista, em que foram presos injustamente, só por terem reclamado o direito deles. Há um comandante, até o que ele fez não deveria o ter feito.

É um comandante de respeito, com passaporte de alta qualidade. Ele, esteve ali a cafricar jovens, a pôr os homens no ombro em companhia a polícia de intervenção rápida. E, aquilo não se faz, aquilo é desumano. Por isso é que nós viemos aqui, pelo menos enquanto não soltarem os nossos homens na Bela Vista, por favor nós vamos passar a noite na Bela Vista, vamos continuar com a greve".

Os homens do azul e branco, mostram-se também irritados com as multas exageradas efectuadas pelos agentes de trânsito, e encorajam todos os seus compatriotas no sentido de aderirem à greve no sentido de verem os seus direitos salva-guardados.


"A nível da província de Luanda, estamos a apelar já todos taxistas. Avisem os patrões, que a partir de hoje, dia 5, enquanto não haver uma resposta positiva estamos em espírito de greve. Vamos continuar porque nós estamos a lutar, aí é onde sai o nosso pão de cada dia. E há dias um polícia tirou dez taxistas e disse, se vocês não me dar cada um 10 mil kwanzas, eu vou vos passar multa de 35 mil kwanzas. Isso aconteceu, eu tirei o primeiro e o último nome dele".

Aucun commentaire:

Publier un commentaire