jeudi 28 avril 2016

Manuel J. Alves da Rocha: Petróleo e gestão da crise sócio-economica angolana

AFP


“Angola encontra-se numa situação  sócio-economica difícil que não pode ser suportada por mais tempo, diz Manuel J. Alves da Rocha": é questão de olhar para o estado do sistema sanitário e educativo e mesmo para a questão do lixo que já se arrasta desde o ano de 2013. Na base está  a queda do preço do petróleo a nível mundial, mas no caso de Angola existe também uma situação mais complexa que reporta o problema à própria gestão dos recursos disponíveis, gestão que não exclui a ma distribuição das riquezas”. 


São palavras do Dr. Manuel José Alves da Rocha o conceituado economista Angolano, professor de economia na Universidade Católica de Angola em Luanda e também director do Centro de Investigação Científica nessa mesma Universidade. Alves da Rocha, também colaborador do Banco Mundial, do PNUD, do Banco de Investimento Europeu e da Organização Internacional do Trabalho, acha que a situação que Angola vive neste momento é absurda porque até há pouco tempo Angola tinha liquidez de reservas que poderiam cobrir a crise actual, sobretudo a nível da saúde, da educação e da recolha do lixo, que parecem ser os sectores mais atingidos por esta situação. 

Na entrevista à Rádio Vaticano Alves da Rocha apela o Governo Angolano a procurar rapidamente uma solução para essa situação que arrasta o País para um colapso sócio-economico que não pode ser suportado a longo prazo.

Aucun commentaire:

Publier un commentaire