dimanche 13 mars 2016

Declaração do Comité Permanente da Comissão Política alusiva ao 50º Aniversário da Fundação da UNITA

A União Nacional para a Independência Total de Angola – UNITA – completa aos 13 de Março de 2016 Cinquenta Anos de existência.
UNITA 50_16.jpeg
Fundada por um jovem revolucionário de convicções profundas nos seus 31 anos de idade, o Dr. Jonas Malheiro Savimbi, a UNITA apresentou-se ao mundo como força unificadora do nacionalismo angolano, tendo estabelecido em Muangai, Província do Moxico, os cinco ideais republicanos que passaram a constituir a sua ideologia. São eles:

1.            Liberdade e independência total para os homens e para a pátria mãe;
2.            Democracia assegurada pelo voto livre do povo através de vários partidos políticos;
3.            Soberania expressa e impregnada na vontade do povo de ter amigos e aliados, primando sempre pelos interesses dos angolanos;
4.            Igualdade dos angolanos na pátria do seu nascimento;
5.            Na busca de soluções económicas, priorizar o campo para beneficiar a cidade.


O projecto de Muangai ou projectodos conjurados de 13 de Março de 1966, constitui a base fundamental do pensamento e da visão filosófica, política, económica, social e cultural da UNITA sobre Angola e os angolanos. É a essência do seu projecto de sociedade e dele decorre o seu programa mínimo para o resgate da Pátria e para renovação moral e cultural do tecido social do país.

Enraizada há 50 anos no coração dos angolanos e na história de Angola, a UNITA construiu em África, nos areópagos das organizações internacionais e no mundo um espaço político próprio e uma consciência muito forte e sólida sobre a sua lealdade e dedicação à defesa da sustentabilidade de Angola e da dignidade dos angolanos.

Ao longo de 50 anos, nós, da UNITA, redescobrimos o país: galgamos montanhas, atravessamos pântanos, abrimos caminhos ardilosos nas florestas, cimentamos harmonia, unimos povos e culturas, aprendemos a tolerância, desenvolvemos sistemas inovadores de produção, comunicação e de abastecimento; criamos sistemas de saúde e de educação; inovamos nas relações internacionais. Sim, percorremos caminhos longos!

Acima de tudo, nós, da UNITA, travamos o expansionismo russo-cubano em África e reconfiguramos o mapa geopolítico da África austral. Fizemos triunfar em Angola o ideal republicano, a economia de mercado livre e a democracia multipartidária, tornando-nos, assim a mola impulsionadora das mudanças politicas que ocorreram, ocorrem e ocorrerão em Angola.

Foram 50 anos de mobilizações e reivindicações. Cinquenta anos de aprendizado, 50 anos de derrotas e, sem dúvida, 50 anos de muitas vitórias: conquistamos a independência política; fundamos as Forças Armadas Angolanas, conquistamos a democracia, fundamos a República
de Angola e lançamos os alicerces para a construção de um Estado de direito democrático em Angola. E neste processo, redescobrimos diálogos para refazer entendimentos e construir a paz. Sim, conquistamos, construímos e mantemos a paz, todos os dias. A paz definitiva e inabalável.
Ao longo de 50 anos, reafirmamos o patriotismo, a justiça social, a subordinação da política à ética e a solidariedade nacional como valores políticos intransponíveis e perenes, ao mesmo tempo que afirmamos a identidade multicultural de Angola e valorizamos as línguas angolanas de origem africana como património cultural e línguas de identidade nacional.

Nessa trajetória de lutas e vitórias, a UNITA sempre manteve firme a sua missão: a construção de uma nação verdadeiramente independente, próspera e democrática. Uma sociedade alicerçada na solidariedade, na igualdade de oportunidades e na justiça social.

Neste seu quinquagésimo aniversário a UNITA evoca solenemente a memória do seu fundador, Dr. Jonas Malheiro Savimbi e de todos os patriotas que deram as suas vidas para o triunfo em Angola dos ideais republicanos de Muangai.

A UNITA saúda em particular os “novos combatentes”, aqueles que pela primeira vez, nas cadeias ou em casa, sentem na alma e na pele, aquilo que a UNITA vem sentindo há 50 anos: a opressão, a tirania e a exclusão.

A UNITA agradece o apoio que tem merecido de todo o povo angolano, no campo e nas cidades, e regista com satisfação tanto o despertar acentuado da consciência patriótica nacional como o amadurecimento sólido da vontade de mudança que já se tornou mais forte do que o medo da mudança.

Nesta base, a UNITA considera que chegou o momento de servir Angola e os angolanos na governação do país. Só no governo poderemos fazer a diferença. Só no governo podemos eliminar a pobreza, reformular a educação, a saúde e o ambiente; só no governo podemos controlar a inflação, criar empregos e implementar as autarquias. Só no governo podemos acabar com a corrupção, recuperar o tecido social fragilizado, os valores abandonados e os consensos desprezados.

Exortamos a todos os cidadãos a juntarem-se a nós nos diversos eventos que serão realizados ao longo do ano em curso no quadro das comemorações do cinquentenário da UNITA. O objectivo é fazer uma reflexão conjunta sobre as melhores formas de garantir ao país, nas eleições de 2017, uma transição pacífica e democrática que conduza Angola a um novo patamar de desenvolvimento e fraternidade.

Viva Angola.
Bem-Haja, o 13 de Março de 1966.

Luanda, aos 12 de Março de 2016.

O Comité Permanente da Comissão Política da UNITA

Aucun commentaire:

Publier un commentaire